Pose

Idosa sentada olhando pela janela através da cortina

Me fixo em seu rosto estático
Medito e me perco em névoas maciças
Há um crucifixo sobre seus lábios
Uma novena vibrando na sua garganta
E novelos compondo a face crespa

Calmo, admiro o desenho do seu rosto
O que está posto, está posto
O que está roto, já viu seu viço e seu vício
Mas seus olhos de espumas salobras
Ai, ainda ondulam dentro das conchas

No lado esquerdo da face
Vejo o relevo dos mares lunares que osculam um acalento
Lento
Lento
Na lente de aumento da saudade

No lado direito da pose
Um brilho satura a superfície, e toda a estrutura,
Aquela erigida por peças calcárias e coberta de pano trêmulo,
Torna-se apenas o brilho branco de um espelho pleno

É nesse lado que o amor não data.

 

01/03/2016

Anúncios

3 comentários sobre “Pose

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s