Beira

Pessoa com espelho no lugar da face

Tenho a estranha mania
De caçar borboletas frias
Atrás do espelho

Cheiro uma flor
(Aduaneira)
Sinto uma flor
(De peneira)
Mordo uma flor
(Freira)

O domingo de manhã
Tem um quê de todas as feiras da semana

A ama de leite
Não é minha mãe

O santo inteiro
É um busto

O choro impuro
Da carpideira

E por mais que tanto bem me queira
Fico sempre à beira
De mim mesmo.

 

26/09/2016

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s