Posses

Reflexo da lua e do sol ao nascer do sol

Sempre estive aberto ao sol da manhã
Sinto verdadeiro aconchego sobre a grama crespa
Mesmo alheia ao meu tato

À noite a lua cricrila logo ali
Atrás das nuvens de espessuras diversas

A vida é rara
E por ser tão rara se faz sozinha, dispersa e anônima

Vivo e aceno
O sol brilha e me despeço ligeiro
De cada pequeno raio que me vem à retina

A vida é uma breve despedida
Repito e repito o mesmo gesto
Aprendo que todo riso sincero é triste
Toda tristeza se contenta na flor

Toda flor me ensina a contenda
Entre sendo, feito e se for

Sinto a firmeza de um abraço
Como alguém que desata uma fita
O riso de meu filho me fita
E me lança num presente órfão e bastardo

Rio enquanto a estrela cintila
Choro enquanto a chuva íngreme despenca
E desenha linhas na face

Que pena
A vida ser só minha…

14/04/2014

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s