Longo mar

Hoje vi o abismo d’água
Pisei na areia granulada e coesa
Moldura dos pés do meu passado
À borda móvel por onde as ondas
Imprecisas vagam

Pisei nas cortinas líquidas de penumbras
Me estendendo o convite de monstros marinhos
Que perduram aos sinais eletrônicos

Esse mar me avista distante
Esconde seus castelos submersos onde
Ignorância, paixão, sangue púrpura
Latejam corais em estado bruto

Aqui é o mar que me pendura
Sob piso ondulante e flácido onde
Águas gris se projetam em espumas brancas
Diluídas em areias

Esse é o mar que me vejo longe
Na postura suburbana em que me imprenso
E me insisto com asas ritmadas

Esse mar longo tomo como casa
Das coisas mortas e imprecisamente novas
Com olhos velhos e âncoras enferrujadas

Esse mar
Esse mar que me adentra em verdura

E desmorona em letra que me lança
Espuma branca de letra que lhe amputa.

Anúncios

4 comentários sobre “Longo mar

  1. “O mar
    Quando quebra na praia
    È bonito
    É bonito…” – Dorival Caymmi.

    Olá, Sandro. Passei para matar saudades. Adicionei seu blog aos meus favoritos, quero fazê-lo ancoragem diária obrigatória em minha navegação por estes mares riquíssimos da blogosfera.

    Um grande abraço!

    1. Grande Darci! Fico feliz demais da conta por te ver por aqui! Apareça mais vezes, inclusive nas redes sociais. Saudade de ler seus escritos primorosos. Forte abraço. Sandro Pinto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s