Ângulo reto

Senhora corcundaA tarde de chuva imprensa e
Turva as antigas telhas com pés de galinha
Decoradas em tons de musgo

As nuvens de chumbo se deitam
Estalam dedos e imprimem imensa sensação de tempo
Torcendo os ponteiros em espirais concêntricas

(O santo que azuleja a fachada se concentra
E refaz suas preces)

As copas das árvores rodopiam mudas
A janela redesenha espelho e vidro

Meus olhos se ampliam
A persiana se abre

E velhinhas murchas
Voltam à noventa graus.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s