Sobremodo

Casal de mãos dadas

As suas mãos são as mais belas
E sem elas
Meus dedos seriam ferro em arestas
Ao mirante de encaixe.

Eu sei
E você bem sabe
Como seus dedos são linhas de harpa
Solfejo da canção do porto
E cais que
O mar
Sussurra
Na noite escura
Ao véu trêmulo
Do farol.

Eu sei
E você cabe
Entre os espaços dos meus dez dedos
Numa espécie de cordão de mil dobras
Tecidas uma a uma no arrebol
Que me acorda.

Eu sei
E você não sabe
Do tanto de pássaros que voam em mim
Do tanto de árvores que preciso plantar
Já vendo o piscar de botões
E dos signos sob o tapete
De alguns silêncios.

Eu sei
E você não sabe
Que você não cabe
Na palavra.

À Rosane, minha esposa.  Em 12/06/2011

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s