Peregrino

O peregrinoO relógio rígido repousa na estante
No lugar que lhe cabe, uma caixa de instantes
Onde me encaixo.

É próprio cada qual ter um lugar.

(Inclusive o pardal acomoda-se em fenos
Com seus filhos pequenos;
E a andorinha achou seu ninho).

Tudo que tenho é um silêncio de altar,
Olhos de mar,
Telhas de estrelas,
Deus em entrelinhas,
Erva daninha
E um longo lugar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s