Permissões

Lá da laje,
Lá de longe
É de onde se ouve
As vozes dos meus amigos
Dos senhores e das senhoras em sino
Abraçando o livro de origamis com sinas
Da minha infância.

Lá, aonde
As memórias correm
E se escondem
Mirando pelo vão
Das janelas de sombras
Ao som de um guizo.

É de lá,
Do mirante distante,
Que então me permitem
Um terço de olho
Um meio de ponte
Uma quina de poste
E um sexto de riso.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s