A amendoeira

Folhas de amendoeira

A amendoeira se pronuncia lisa além beira da casa
E sua folhagem mista, vermelha e verde, balança calma,
Em sinal de afirmação aos transeuntes do calçadão,
Numa mistura de sombras, ramos e folhas.

Seus galhos modulam um túnel, um tipo de passagem
De silêncios e ecos vários, que vêm das estações de barro,
De pés descalços, cadeiras brandas, peças de tricô.

Sob sua viva marquise reside um átrio;
No clamor do desnudar das eras e das esperas
Do que ainda não se encontrou.

O vento eriça a estrutura da paisagem
E pares de folhas verdes e rubras são conduzidas
Para além dos limites das sombras vazadas,
Deixando aos meus pés um delicado recado,

Que levo ao bolso
Com todo recato.

31/07/2010

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s