Filetes

Garoa

A garoa dança ante a luz amarela;
Lenço de seda ao som de suspiros,
Cortina de renda que abriga e revela
Os ponteiros feridos na sala de espera.

Há tanta solidão por detrás da garoa…
E o sutil movimento abre um filete
Nos momentos de ramalhetes
Em retratos de gelos.

Sob a luz da cortina se abre um sorriso,
Luas, flores, cruéis estiletes,
Pessoas em bilhetes
(Mais parecem paredes).

Há muita ternura na dobradura de gotas.
E no olho, a proa
Dos barqueiros sem rede.

22/06/2010

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s